O Festival de Música de Setúbal, aproximando-se da sua 7ª edição, continua a ser um fenómeno cultural incomparável, juntando convidados de renome internacional, tanto de Portugal como além-mar, em conjunto com a comunidade local – aproximadamente 1500 jovens estão envolvidos este ano, enquanto compositores e músicos – e enriquecendo a vida cultural desta encantadora e calorosa cidade.

Desde o início, os programas do nosso festival estiveram unidos e foram melhorados através de temas que são familiares às mentes e corações da população setubalense: o tema deste ano – “Migração” – focando-se na inter-relação das culturas da Península Ibérica, é muito significativo, não só enquanto conceito, mas também a nível global e local. O trabalho criativo dos nossos jovens e as performances dos artistas de renome convidados em 2017, irão reflectir algumas das influências culturais essenciais enquanto consequência da migração humana, não só nos tempos modernos, mas também ao longo da nossa história, e ajudarão a definir e refinar a natureza enquanto indivíduos singulares e sociedade colectiva. A música tem o poder, quase milagroso, de mudar as nossas vidas e de nos unir – e foi, ela própria, sempre transformada e enriquecida através da migração – aqui em Setúbal, em toda a Península Ibérica e em todo o mundo.

Este ano decidimos celebrar a diversidade e a abrangência da guitarra, que tem existido sob as mais diferentes formas e em todas as culturas: talvez mais nenhum tipo de instrumento tenha sido tão característico dos músicos viajantes por todo o mundo, nem da própria tradição musical da Península Ibérica. Dejan Ivanovich, oriundo de Tuzla (Bósnia e Herzegovina) e agora considerado um dos mais conceituados guitarristas clássicos de Portugal, irá estrear-se no Festival enquanto artista convidado em três concertos contrastantes. O primeiro concerto será na belíssima Igreja de S. Simão em Azeitão, com a Camerata do Festival de Setúbal – que reúne alguns dos melhores músicos profissionais de cordas emergentes – e com o excelente jovem maestro internacional Kerem Hasan, que também visita Setúbal pela primeira vez. A nossa “Extravaganza de Guitarras” é algo completamente diferente, encontrando Dejan rodeado de cerca de 60 guitarristas de Setúbal e outros locais de Portugal! Por fim, fechando o Festival no glorioso Convento de Jesus, juntam-se a ele membros do Coro da Gulbenkian e jovens cantores de Setúbal, dirigidos por Paulo Lourenço.

Estamos encantados por voltar a receber no Festival deste ano alguns dos melhores Coros e Orquestras – a Grand Union Orchestra (Londres), a Sinfonietta de Lisboa e o Coro da Gulbenkian – os quais contribuíram com excelentes participações em edições anteriores. Vários jovens músicos conceituados apresentam-se no Festival pela primeira vez, incluindo Lia Yeranosyan, violinista vencedora do Prémio Jovens Músicos 2016, competição portuguesa de destaque, e Teresinha Landeiro, estrela do fado em ascensão, nascida em Azeitão.

Temos o particular e imenso privilégio em receber Pilar del Rio, viúva do escritor Prémio Nobel José Saramago, para discutir a obra A Jangada de Pedra, que ilumina, e reflecte de forma perfeita, os nossos temas vitais da migração e a Península Ibérica.

Devemos uma profunda gratidão à iniciativa e ao apoio do Helen Hamlyn Trust, à Câmara de Setúbal, à Donatella Flick LSO Conduction Competition e aos muitos parceiro locais, instituições e pessoas, cujos esforços tornam o Festival possível. Agradecemos-lhe especialmente a vós, a audiência, por partilhar connosco a música, e por nos dar propósito.


Ian Ritchie nasceu na cidade de Londres em 1953, iniciou os seus estudos na Royal College of Music em 1971 (vencendo o Prémio Mario Grisi para cantores), estudou coro e foi aluno em direito e música no Trinity College, Cambridge, e continuou na Guildhall School of Music & Drama. Tem uma carreira musical e como curador com mais de 40 anos, dirigiu várias organizações artísticas de destaque, incluindo a City of London Sinfonia, a Orquestra de Câmara Escocesa, a Opera North, o Festival St Magnus (Orkney) e o Festival City of London.

Como programador multidisciplinar, centrado na música, Ian está comprometido com a excelência e inclusão social nos seus festivais, proporcionando oportunidades a músicos de todas as proveniências para criar e apresentar. Ao longo dos últimos 20 anos, prestou apoio regular como facilitador artístico na Bósnia-Herzegovina e em outros ambientes pós-conflito. Está envolvido em várias organizações musicais como gestor ou conselheiro, e recentemente ajudou a criar a Music Action International, que trabalha criativamente com refugiados e requerentes de asilo, ganhou o título de ‘Charity of the Year’ nos The Guardian Charity Awards 2016.

Ian é Director Artístico do Festival de Música de Setúbal (Portugal) desde o seu início em 2010-11 e tem posições semelhantes no Ensemble Juvenil de Setúbal e no The Musical Brain (Artes, Ciência e a Mente). É solicitado enquanto orador, actua enquanto cantor e narrador, avalia competições, é um mentor para novos músicos, ensinando programação artística e apoiando em várias universidades e faculdades no desenvolvimento de carreira e gestão criativa.